31 de dez de 2009

Esperança


Lá bem no alto do décimo segundo andar do Ano
Vive uma louca chamada Esperança.
E ela pensa que quando todas as sirenas,
todas as buzinas,
todos os reco-recos tocarem,
Atira-se
e
— ó delicioso vôo!
Ela será encontrada miraculosamente incólume na calçada,
Outra vez criança...
E em torno dela indagará o povo:
— Como é teu nome, meninazinha de olhos verdes?
E ela lhes dirá
(É preciso dizer-lhes tudo de novo!)
Ela lhes dirá bem devagarinho, para que não esqueçam:
— O meu nome é ES-PE-RAN-ÇA...

Mário Quintana

16 de dez de 2009

...saudade...


"Porque sentia uma saudade tão grande que chegava a doer e, embora persistisse em acreditar que ela reclamava de outras ausências, a verdade é que o tempo inteirinho ela falava da minha falta de mim."
Ana Jácomo

3 de dez de 2009

"Bom mesmo é ser inesquecível!


Tudo que não se lembra bem, tudo que foi passageiro, tudo que exige esforço pra ser lembrado não foi bom. Boas memórias são como tatuagens, marcantes, deliciosamente marcantes."

"o que mais chama atenção em mim:

eu não corro quando chove."

Saudade

Recebi essa mensagem do meu amigo Roberto Gonçalves. Não deu pra conter as lágrimas. O texto é forte como tudo que se refere à saudade. Com o tempo, aquele período bom da convivência diária vai ficando pra trás, na memória... Mas só tem saudades quem amou. Então somos feliz, pois temos a certeza que amamos e somos amados. Dedico este texto a todos os meus amigos, especialmente, à Patrícia, Penéllope e Roberto. Pessoas que tornaram os meus quatros anos de faculdade mais suaves e perfumados.

Amo vocês. Pra sempre...


Um dia a maioria de nós irá se separar. Sentiremos saudades de todas as conversas jogadas fora, as descobertas que fizemos, dos sonhos que tivemos, dos tantos risos e momentos que compartilhamos.

Saudades até dos momentos de lágrima, de angústia, das vésperas de finais de semana, de finais de ano, enfim... do companheirismo vivido.
Sempre pensei que as amizades continuassem para sempre.Hoje não tenho mais tanta certeza disso.
Em breve cada um vai para seu lado, seja pelo destino, ou por algum desentendimento, segue sua a vida, talvez continuemos a nos encontrar quem sabe... nos e-mails trocados. Podemos nos telefonar, conversar algumas bobagens...

Aí os dias vão passar, meses... anos... até esse contato tornar-se cada vez mais raro.
Vamos nos perder no tempo... Um dia nossos filhos verão aquelas fotografias e perguntarão? Quem são aquelas pessoas?
Diremos... Que eram nossos amigos. E... isso vai doer tanto!

Foram meus amigos, foi com eles que vivi os melhores anos de minha vida! A saudade vai apertar bem dentro do peito.

Vai dar uma vontade de ligar, ouvir aquelas vozes novamente... Quando o nosso grupo estiver incompleto... nos reuniremos para um último adeus de um amigo.E entre lágrimas nos abraçaremos. Faremos promessas de nos encontrar mais vezes daquele dia em diante. Por fim, cada um vai para o seu lado para continuar a viver a sua vidinha isolada do passado.

E nos perderemos no tempo...
Por isso, fica aqui um pedido deste humilde amigo: não deixes que a vida passe em branco, e que pequenas adversidades seja a causa de grandes tempestades...

Eu poderia suportar, embora não sem dor, que tivessem morrido todos os meus amores, mas enlouqueceria se morressem todos os meus amigos!

Fernando Pessoa

2 de dez de 2009

ame

"Quem não faz do amor a sua espada,
tem de escudo o coração."

Jorge Vercillo


Para quem estava com saudade...


Sou suspeita para falar sobre o show de Jorge Vercillo porque sou fã e o amo incondicionalmente. Mas como ouvi relatos de pessoas que foram pela primeira vez ao show dele, posso dizer com todas as letras e em maiúsculo: o show foi M-A-R-A-V-I-L-H-O-S-O!

Tudo perfeito. Desde o comercial que anunciava: "...e para quem estava com saudades... Jorge Vercillo." Nada mais verdadeiro. Foi uma noite para matar as saudades, mas sempre com aquele gostinho de quero mais. Mesmo com mais de 2h30 de show... Uma noite inteira não saciaria a nossa vontade de ouvir, dançar e vercillar. A vinda de Jorge Vercillo é sempre uma oportunidade para rever os amigos e botar o papo
em dia. Ele consegue unir todas as coisas. Não há a menor dúvida.

O show como de praxe foi aberto com Melhor Lugar. Após algumas músicas, Jorge pôde perceber que aqui é o melhor lugar e repetiu o trecho: Aqui ainda parece o melhor lugar... E, é! Embora, em alguns, pairasse a incerteza sobre quem seria a atração principal. Não ficou nem uma sombra de dúvida de que a maioria foi pra ver e ouvir Jorge Vercillo. O êxtase tomou conta do Chevrolet Hall com a entrada do cantor. O show de Fagner também foi lindo com músicas que marcaram e marcam a vida de todos nós. Com direito a volta do cearense no show de Jorge. Cantaram Fácil de Entender (composição de Jorge regravada por Fagner), Velas do Mucuripe (a pedido de Jorge) e Canteiros.

Reafirmando que todos nós somos um, Jorge mandou que fosse liberada a entrada das pessoas que estavam nas laterais para oo setor das mesas. "A casa é nossa", afirmou. E foi mesmo. Ele agradeceu às pessoas que estavam nas mesas pela compreensão e reiterou que para ele não havia diferença entre quem estava nas mesas, nos camarotes ou na pista. Todos são iguais, todos são um. Tem como não se apaixonar por essa criatura? Até ciranda teve. No momento da capoeira o músico pernambucano Fabinho Costa mandou ver com a tradicional ciranda: "Eu tava na beira da praia ouvindo as pancadas das ondas do mar..." Não tinha como não ensaiar uns passinhos e uma roda de ciranda.

Em um momento, Jorge bebeu água e deu o copo a uma das pessoas que estavam na frente do palco. A galera foi ao delírio. rsrs Glauco Fernandes ainda o desafiou a tocar violino no momento da capoeira. Uma espécie de 'vingança' que nos fez dar boas risadas e ouvir Jorge tocar violino (com um pouco mais de aulinhas ele consegue). Mas não dá pra não achar lindo o que Jorge faz, né? rsrs Esbanjando simpatia e humildade, Jorge cativa ainda mais o público pernambucano. E "(...) se tu me cativas, teremos necessidade um do outro." A saudade já bateu...

Encerramento da turnê Trem da minha vida e expectativas para o novo CD que vai chegar... Com a certeza que teremos um longo tempo de espera até a volta do nosso jardineiro. Até lá, é relembrar os bons momentos. Que não são poucos... rsrs

Foto: Patrícia Greco

1 de dez de 2009

Deus sabe


Na fé, eu sou capaz de me dizer, com amorosa humildade, que grande parte das vezes eu não sei o que é melhor para mim. Eu não sei, mas Deus sabe. Eu não sei, mas minha alma sabe. Então, faço o que me cabe e entrego, mesmo quando, por força do hábito, eu ainda dê uma piscadinha pra Deus e lhe diga: “Tomara que as nossas vontades coincidam”. Faço o que me cabe e confio que aquilo que acontecer, seja lá o que for, com certeza será o melhor, mesmo que algumas vezes, de cara, eu não consiga entender.

Ana Jácomo

Quando a vida ficou mais interessante


Se alguém me perguntar quando comecei a sentir a minha vida mais interessante, eu tenho a resposta na ponta da língua: quando comecei a me interessar mais por mim. A ser mais gentil comigo. A dar menos espaço ao que não tem importância e a respeitar o tamanho do que, de fato, me importa. A querer me conhecer melhor. A ter bem menos pressa pra chegar sei lá onde. A apurar o ouvido pra sentir a música das coisas mais simples, que cantam bonito e muitas vezes baixinho. Quando comecei a me enjoar da mania de tentar entender tanto e abri o coração para apreciar mais. Quando comecei a buscar conforto em estar na minha companhia.

Às vezes, ao acordar, eu me olho no espelho e me digo: Vamos lá, Ana, fazer o melhor que a gente puder desse dia. Eu estou com você. De uns tempos pra cá, não é que tem sido verdade?

Ana Jácomo
www.anajacomo.blogspot.com