9 de nov de 2008

Eu voltei...

Depois de um longo tempo, volto a postar textos aqui no meu blog. É que tenho um outro blog com alguns amigos vercillianos (http://www.floresvercillianas.blogspot.com/) e ele está exigindo um pouco mais do meu tempo. Prometo me dedicar um pouquinho mais ao Guarde nos olhos. Voi tentar...

Para marcar essa volta, publico um texto da minha amiga Ana Jácomo. Os textos dela são de uma sensibilidade infinita. Ela é dessas poucas pessoas que consegue ver beleza nas pequenas coisas. Visitem o blog dela, é apaixonante (
http://www.anajacomo.blogspot.com/).

Com vocês: É isso.


É isso


Porque é isso: quando sorri, eu tenho a impressão de que apertaram o interruptor que acende o sol, pois tudo clareia ao seu redor. Quando fala, eu tenho a impressão de que toda a vida canta a música bonita que a sua alma diz. Quando silencia, eu tenho a impressão de que todas as coisas adormeceram um pouquinho até você acordá-las outra vez.

Porque é isso: quando olha, eu tenho a impressão de que a primavera beijou todos os jardins, pois tudo parece florescer onde os seus olhos descansam. Quando está feliz, eu tenho a impressão de que o mundo inteiro brinca de roda com a sua alegria. Quando está triste, eu tenho a impressão de que todos os passarinhos do planeta estão temporariamente na muda e encolheram seu canto.

Porque é isso: quando mostra as suas limitações é que eu vejo ainda mais o seu tamanho. Quando mostra o seu desconcerto é que eu vejo ainda mais a sua força. Quando mostra as suas dores é que eu vejo ainda mais a sua vitória. Quando mostra os seus medos é que eu vejo ainda mais a sua coragem. Quando mostra as suas sombras é que eu vejo ainda mais o seu lume.

Porque é isso: o amor, primeiro, é toque na pele arrepiada de encanto que reveste a alma. Depois, sopra o seu arrepio pra pele encantada que reveste o corpo. Então, acontece o milagre do corpo e da alma se encontrarem, se abraçarem, e se misturarem num encanto só.

Eu sento na beira da praia dos seus olhos, incontáveis vezes, perto ou longe de você, só pra apreciar de novo. Porque o amor é isso também: essa admiração que não cansa de se reinventar a cada onda.



Nenhum comentário:

Postar um comentário