9 de set de 2007

Dá-me a Tua Mão


Estou sem tempo de escrever textos e publicá-los aqui. Mas para não deixar o blog tão desatualizado posto o poema ste poema Dá-me a Tua Mão que é da escritora ucraniana Clarice Lispector. Clarice que, inclusive, viveu durante a infância em Recife e estudou no Ginásio Pernambucano. A autora escreveu diversos livros entre ele Perto do Coração Selvagem (1943), Laços de Família (1972) e o inesquecível A Hora da Estrela (1977).


Dá-me
a tua mão:
Vou agora te contar
como entrei no inexpressivo
que sempre foi a minha busca cega e secreta.
De como entrei
naquilo que existe entre o número um e o número dois,
de como vi a linha de mistério e fogo,
e que é linha sub-reptícia.

Entre duas notas de música existe uma nota,
entre dois fatos existe um fato,
entre dois grãos de areia por mais juntos que estejam
existe um intervalo de espaço,
existe um sentir que é entre o sentir
– nos interstícios da matéria primordial
está a linha de mistério e fogo
que é a respiração do mundo,
e a respiração contínua do mundo
é aquilo que ouvimos
e chamamos de silêncio.

Um comentário:

  1. Adoro Clarice!! Minha preferida, eu diria. Essa mulher é absurda! É, porque ela não morreu, pelo menos não para mim. A-do-ro.
    Enfim, não poderia ser diferente, adoro o poema também. Boa escolha, Rê! :)

    "Clarice que, inclusive, viveu durante a infância em Recife e estudou no Ginásio Pernambucano." - Este dado eu não conhecia!

    ResponderExcluir